domingo, 18 de setembro de 2011

ENCONTRO DA FAMILIA ROCHA, REALIZADO EM BREJO DO CRUZ.

De 3 a 7 de Agosto de 2011 reuniu-se a Familia Rocha, na sede oficial, do Pé da Serra. A convergência dos irmãos, sobrinhos e familiares ao local de encontro foi acompanhada com muitas histórias, alegria e emoções.
Nosso querido Pai contou com uma plateia receptiva às suas piadas e contos. A densidade demográfica na cozinha era altíssima. Confecções de bolos, pratos especiais... Os dias juntos foram uma única oportunidade para atualizar notícias, ouvir nosso Pai, compartilhar alegrias e tristezas. Muita molecagem, foram dias de descontração absoluta. O pé da serra nos acolheu e a vizinhança já conhece a rotina. Uma noite foi escolhida para a oficialização da reunião, onde sorteamos brindes, os dotados interpretaram poesias e a casa ficou cheia de papel.


Nossa irmã Marlene, escrivã oficial da reunião, saiu recordando dissabores dos manos e aqui transcrevo dois episódios dignos de menção. 
Foi recordado na Ata da Reunião:
1 - Foi dito por Alderi Filho no dia 5, às 9,20 da manhã, que mais tres dias se passariam sem ele comer nada, isto porque no dia de ontem, comeu excessivamente pelos tres dias que viriam. Assinou, dando por verdade a afirmação, feita perante oito dos doze irmãos.

2 - Às 12 horas,  a jornalista Marilza Rocha nossa irmã rica, encontra-se num estado deplorável, desde o raiar do dia. Diagnóstico atestado pelo irmão não médico, Itamar Rocha, autoridade no ramo do whisky falsificado, desde os primórdios da vida estudantil, afirma categoricamente que esse desfalecimento da nossa irmã, deu-se em virtude da ingestão das doses altas do dito "fasiêh" Boliviano.

Segundo normas rígidas do Patriarca, "NADA É COMIDO" sem que seja rigorosamente anotado em uma cadernetinha de seu exclusivo uso, na qual consta, alem de débitos da mulher de Dedé (Lucinha) e do menino (Marquinho), e alguns mimos feitos à Lolina, como pagamento da manicure, credito do celular... os que foram consumidos na operação "levanta defunto" da nossa irmã. Estes gastos improvisados comprovados  foram  2 barrinhas de doces, chá preto, rodelas de batatinha ao vinagrete aplicados para dor de cabeça, água de coco e outros...

A nossa irmã fala diante de grande parte da familia e de Quitéria, enfermeira improvisada na aplicação de soro, que teria sido esta a última vez que bebeu. Assim, antes de tomar o soro e após ter passado senhas secretas dos cartões dos bancos para a filha Yasmin Estrela, assina essa ata....

As noitadas no Beco da Discordia.

Uma piada cabeluda, com certeza.
O cunhadão cearense, com seu cartão de visita (o copo na mão).
                             
              A despedida...                                             Conversas particulares.

3 comentários:

  1. No momento das minhas declarações eu estava atordoada com tanta dor de cabeça. Agora acho melhor a gente não levar tão a sério o que eu falei, principalmente que não mais ia beber.
    Gente!!! não posso deixar Neuma e Lucinha beberem sozinhas... elas precisam de companhia... Marilza

    ResponderExcluir
  2. Minha irmã, voce estava muito atordoada com tudo, foi um repente mal interpretado. Nós precisamos de voce (Eu e Lucinha) para nos acompanhar nas nossas conversas que varam as noites, sempre acompanhadas de algo líquido.

    ResponderExcluir
  3. Não esqueçam de Tia nenem, quando vierem traga um vinho pois a mesma é também chegada a umas dozes pra dizopilar kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...