segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A LENDA DO OVÃO...


Quem ainda não ouviu as histórias sobre o ovão?...ou não já foi ameaçado da sua exibição?...Pois é...o seu reino está com dias contados. Plano de uma cortada, êpa, não do ovão, mas do excesso...num futuro não muito distante... Assim que fiquem todos avisados que a normalidade vai voltar aos testículos do menino...

FILOSOFIA DE CAMIONEIROS...


No livro de Myrian Gurgel, TRIBUZANA, sobre piadas de papai é relatada a dos dizeres em para-choque de caminhões.
Escreve Myrian:
"Nem precisa precisa acrescentar aqui a versatilidade de linguagem de para-choque de caminhão:
Nosso Amigo Aldery nos conta que:
 - Eu sou camioneiro, mas eu presto atenção. Quando o carro é novo, o cara manda o pintor escrever:"
 -"Sai da janela, curioso."
- "Amar foi minha ruina."
 - "Dou carona à quem tem peito."
 - "Vim matar as saudades e voltei morrendo."
E muitas outras. E quando o carro começa a quebrar, que o dinheiro não dá mais para a despesa dos consertos, ele escreve:
 - "Deus e São Francisco é meu guia."
 - "Devagar se vai ao longe."
 - "Côco velho é quem dá azeite."
 - "Não troco o velho pelo novo."

domingo, 30 de outubro de 2011

O ASSOBIADOR DA NOSSA RUA...


Vou deixá-lo anônimo; mas nosso vizinho do Bêco, vive rua acima e rua abaixo assobiando e alegrando onde passa. Já às 5 da manhã, vai, ora caminhando, ou de bicicleta, assobiando as mais lindas melodias antigas, de marchas, sambas à valsas...num repertório admirável.
Nosso Pai conta uma pequena história sobre outro vizinho, seu inimigo, que quando o via passar assobiando, abanava a mão e dizia: "Ah.... uma italiana (abelha) no bico desse moço"... Mas isso nunca aconteceu e nada silencia seus assobios. Vale dizer, que além de assobiar mundo afora, sua excentricidade é levar consigo uma cadeira, onde quer que caminhe, para sentar-se com conforto, quando pare para um bate papo. Ele é um, entre muitos, dos excêntricos de Brejo do Cruz. E parece que a moda está pegando aqui pelo pé da serra, pois às tardinhas é muito comum ver gente passando com suas cadeiras...


Uma pergunta: devo contar as nossas cadeiras??? Caso vire paixão municipal, com uma turma que gosta de bater papo na rua, vamos ter que aumentar nossos assentos...

O MUNGUNZÁ DO DOMINGO...


Outra herança dos nossos irmãos africanos, o mungunzá, cujo sabor deliciou às nossas jantas por tanto tempo, ainda é o prato favorito do nosso Pai. Em tempos passados, o milho era descascado no velho pilão, colocado de molho e só depois cozido com tripa ou toucinho. Na atualidade, já o compramos descascado e  é cozido com carne de sol e muito tempero. Assim, prestigiando a nossa culinária típica, o mungunzá se torna um dos pratos domingueiros na nossa casa, acompanhado de queijo de coalho frito e arroz da terra.

sábado, 29 de outubro de 2011

A PRIMEIRA NETA DOUTORA...


Luna defendeu ontem, com sucesso, a sua tese de Doutorado, na Faculdade de Filosofia da Universidade de Dublin, Irlanda. Para papai, a primeira neta, que com muita dedicação, conseguiu esse prestigioso título. Nossos parabens à Dra. Luna Rocha Dolezal. Com muito orgulho e carinho, lhe desejamos um futuro de muita realização profissional.

Nossos parabens....


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

O TRATO QUEBRADO...


Quando o assessor Pedro chegou de Catolé do Rocha com o extrato, fresquinho saído do caixa eletrônico do Banco do Brasil, a suspeita e a realidade da quebra do trato foram confirmadas. Pedro, alem de assessor é amigo e conselheiro; e lhe coube esclarecer os detalhes do extrato, calmamente, com palavras bem pronunciadas e esperançosas...."deve ter sido um erro"..."o resto vai ser depositado, só espere"... Mas a subtração de mais de 60% do valor combinado (doação mensal do filho Itamar), foi uma realidade dura demais para nosso Pai, que acredita na exatidão da matemática. Virou-se para mim e disse: "o homem só depositou R$100,00." Depois me detalhou a contabilidade do mantimento da propriedade, com ar de muita angustia...


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A PEDRA DO DESCANSO...


Quem não parou nessa pedra amiga para retomar o fôlego e abastecer-se da preciosa água, numa subida à serra? A subida ainda é programa obrigatório na Semana Santa, onde uma multidão começa a encher a trilha, que leva ao topo, já na véspera da Sexta Feira da Paixão, com muito entusiasmo, mantimentos e energia. A pedra do Descanso é uma parada programada, pois nessa pausa, recompõem-se energias e ânimo para o resto da subida.


Nossa casa tem posição privilegiada, pois a lateral termina onde começa a trilha. Vezes incontáveis percorremos esse caminho pedregoso, pela aventura da subida, com grupo de amigos, desafiando as urtigas...

Vale contar um episódio, entre alguns, que ficou gravado na história da cidade, sobre um cidadão, que em tempos passados era dono de um pequeno empreendimento. Com muitas dívidas, em desespero, subiu a serra e ameaçou jogar-se caso os devedores não pagassem as contas tão atrasadas. O que se seguiu, então, foi uma procissão informal de pagadores, rumo à pedra do topo, para evitar uma tragédia, mas teve a exceção de um, que não pagava nem promessa, quando anunciou que aguardaria a brusca descida para então quitar seu débito. Felizmente, tudo terminou bem e o cidadão desceu agradecido.  


MAIS HISTÓRIAS CONTADAS...


A história de Sebastião Vieira.
Sebastião era um primo nosso que morava no Sítio Timbaúba, perto de São Bento. Era um homenzarrão que falava em voz alta e repetia tudo que falava. Papai nos contava que numa viagem que foram juntos, dormiram no primeiro andar de uma pensão, em uma cidade do interior. Como era seu costume, no sítio, Sebastião acordou antes das 5 da manhã e com seu vozeirão começou a conversa.
-Alderi, eu lhe contei do meu morador que caiu de um pé de coco? Contei, não contei?..Contei?
Papai tendo acordado com essa pergunta, já se preocupou com os rumores de descontento vindos dos quartos vizinhos. Começou a arrumar os pertences para saírem o mais rápido possível, enquanto Sebastião prosseguia com sua história.
- Pois é, eu estava em casa uma manhã, é, uma manhã...quando o filho do morador chegou gritando: "Seu Sebastião, Seu Sebastião, acuda meu Pai, ele caiu lá de cima de um pé de coco".
- De um pé de coco? ... de um pé de coco? E como ele 'tá? O menino responde: "Tá atolado até os joelhos.."
-Então não deve ter sido tão ruim assim, até os joelhos...até os joelhos, não é Alderi?
 O menino em agonia: " Mas Seu Sebastião, ele caiu de cabeça p'ra baixo"...
- Foi Alderi, o homem caiu de cabeça p'ra baixo...cabeça p'ra baixo...
Bom, a essas alturas, já desciam as escadas e os murmúrios de descontento mudaram para risadas...


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

AVANÇANDO NOS QUARENTAS....

O tempo tambem passa no Pé da Serra... 
Marilza, à frente de todos...

Neuminha...

O menino...(Marquinho)

A mulher de Dedé... ( Lucinha)

HISTÓRIAS DA ESTRADA...


No programa  Catolé News, da Radio Panorama FM, de Catolé do Rocha, já mencionado nesse blog, perguntaram a papai para contar algo sobre seu companheiro, Antonio Medeiros. Claro que não se fez de rogado e disse que um dia estavam almoçando num restaurante na estrada, quando uma mulher aproximou-se da mesa, e olhando para Antonio Medeiros perguntou: " como é que seu bigode é preto e seu cabelo é branco?  A resposta foi: "porque ele é 18 anos mais novo"...

Os velhos tempos... Papai, Antonio Reis no centro e Antonio Medeiros à esquerda.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O PASSADO REVELADOR...


Que a nova geração não tente imitar...
Sem comentários... foto do fundo do baú, dos tempos de estudantes em Campina Grande.
Leleda, Neuma, Marilza, Zuila de frente e Risolene (de Monteiro) de costas.

O PAU DE "SEU ZÉ INACIO"...


Quando o Prefeito anterior mandou retirar esse velho cepo, conhecido como o "pau de Seu Zé Inacio", (por ficar à frente de sua casa), a vizinhança, que se beneficiava desse descanso e acolhida, uniu-se e rebelou-se contra essa medida. Venceu a voz do povo e o cepo retornou ao seu lugar de origem, onde esteve desde tempos bem remotos. Socialmente, esse cepo desempenha uma função extremamente importante na nossa rua, pois da manhã até altas horas noturnas é sempre ocupado por pessoas de diversas faixas etárias, com reuniões informais de vizinhos, crianças saboreando picolés, mães e seus filhinhos...todos buscando a acolhida desse banco improvisado. Nele ficam as nossas lembranças, de um saudoso passado, nas interações com os familiares, amigos e vizinhos, alguns já não mais entre nós.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

OS GUARDIÕES DA CASA...

Acolhido da rua em precária condição, mostrou-se um ótimo cão de guarda. Um dia o pequeno Jerônimo, com sua voz arrastada e cantada, disse: "tia, qual é o nome dele?". Eu lhe disse que ainda não tinha nome e  perguntei se queria fazer uma sugestão. Ele me respondeu: " o meu amigo tem um cachorro que se chama Frecher." E por Fletcher foi batizado.

Essa é Chiquita. Ficou amiga do Fletcher, já chegou com um barrigão. Teve 8 filhotinhos e todos foram doados. Agora essa dupla reina no nosso quintal.  Regularmente recebem a visita do Pingo, o revolucionário, já mencionado nesse blog. A rotina caseira do nosso Pai está tambem em volta desses dois, com os horários de comida, saídas à rua e recolhimento à portas trancadas. 

domingo, 23 de outubro de 2011

CHEGARAM AOS CINQUENTA....

A turma de "Seu Alderi"... desafiando o tempo...

Ismar liderando, mas brevemente junta-se aos sexagenários.

Marluce, que está bem perto de tornar-se a lider do grupo.

Fatima...

Marlene...

Betania...

Alderi Filho...

Leleda ( Marlede), a caçula dessa turma...

sábado, 22 de outubro de 2011

A INESPERADA VISITA...

Foi como se uma explosão de vida entrasse cozinha à dentro. Era o vozerão de Ismar, dizendo tudo ao mesmo tempo, falando de todos. "Cadê a branquinha?"  foi logo pedindo. A vista foi breve mas muito intensa. A alegria de outrora, dentes novos, foi logo dizendo...Sobrinho de quem mesmo?????

Acompanhado do menino Genismar, seu filho...

A felicidade de papai...

A turma...

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

UM CONTADOR DE HISTÓRIAS...


No programa Catolé News, da  Radio Panorama FM, no mes passado, onde foi homenageado e entrevistado, ao nosso Pai pediram que contasse alguma história sobre Ismar, nosso irmão camioneiro.  Riu antes de responder. Contou ele, que um dia, estava num Posto de gasolina, numa estrada da Bahia, quando Ismar chegou. Tinha um olho muito inchado. Papai lhe perguntou o que aconteceu e ele lhe disse que tinha sido uma ferroada de abelha. Uma mulher que se encontrava presente, entrou na conversa e disse a Ismar que sabia de uma coisa  para lavar o olho, que iria curá-lo na hora. Ele, esperançoso indagou o que era. Ela lhe disse que era leite de peito. "Onde vou achar isso? quis saber. A mulher lhe respondeu que tinha. Pediu uma xícara e tirou o peito para fora. Quando Ismar viu o peito disse: " Não seria melhor eu mamar?"


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

A BENDITA CHUVA...


Um presente do Céu. A chuva de 36 milímetros caiu ontem à noite, com muito vento, trovão e relâmpago. Nosso Pai, prevenido como sempre, já tinha instalado, no dia anterior, o pluviômetro, ante o cenário de nuvens carregadas que deslizavam sob o nosso céu. Do armário, onde é guardado depois do nosso inverno, ao pedestal, confirmando a seriedade e benefícios dessa chuva, à tão sedenta natureza.


Mas, sua rotina de regar as plantas do quintal e jardim frontiço ainda prevaleceu; e apesar da terra saciada, a água jorrou da mangueira, por boa parte da manhã.

O ADEUS À LINDEMBERG


Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. 
Aquele que crê em mim, ainda que morto, viverá.
E todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá... ( joão 11;26-26)


Missa de corpo presente e em seguida o sepultamento. Familiares e amigos lotaram a Igreja da Paróquia de Nossa Senhora dos Milagres. Lindas mensagens de despedidas foram pronunciadas por amigos mais próximos. Aqui fica o nosso adeus à Lindemberg e solidariedade à familia.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

O CONFORTO NA CAMINHADA...


Presente de Lucinha, a mulher de Dedé, os tênis para caminhar fizeram sucesso. Nosso Pai, mais cedo do que de costume, já estava preparado para enfrentar o calçamento das nossas ruas. Ainda madrugada, de um céu azul celestial, sob a silhueta da nossa acolhedora serra, saímos rua à fora para o benigno exercício.

Fica um desafio aos preguiçosos da familia, para seguir o exemplo do nosso ativo Pai e sacudir o esqueleto.


Confortavelmente...

terça-feira, 18 de outubro de 2011

NA ALEGRIA E NA DOR...

Nosso querido irmão Marquinho sofreu um acidente de carro, na volta da sua viagem à Tocantins. O seu amigo e companheiro de viagem, Lindemberg, sobrinho de Valdir, filho de Da Paz, infelizmente faleceu nesse acidente... Nossas eternas saudades...


Estamos solidários com os seus familiares, na dor da perda desse ente querido. Tambem somos parte da mesma famíla.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A CONTA QUE NÃO CHEGA...


A conta da água, que no passado era tão pontual, previsível, agora está interrompendo a rotina pagadora do nosso querido Pai. Quantas idas a Cagepa, telefonemas, e o atraso se reafirma. O dinheiro, já contadinho, à espera, foi manuseado muitas vezes. Uma conferência necessária p'ra manter a certeza desse pagamento.

 Inconformado, nosso Pai reclama de um atraso tão injustificado.

NEGÓCIOS CONTÁBEIS EM TOCANTINS...

O diploma que lhe escapou...
Concretizando...
                                                    
         

Nosso irmão mais novo, Marquinho, viajou à Tocantins, (essa família viaja...) neste último fim de semana, em busca da solução para consolidar seu futuro como Contador. Testemunhas fidedignas oculares da sua colação de grau estão em clima de dúvidas quanto a essa dupla situação: como? quem? quando? por que? e foi? não diga... Aguardamos o desfecho desse caso com muita curiosidade e ansiedade.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...